play_arrow

keyboard_arrow_right

skip_previous play_arrow skip_next
00:00 00:00
playlist_play chevron_left
volume_up
chevron_left

Áudio

Guerra do Vietnam

Christian Gurtner 18/09/2015 546 5


Background
share close

Conheça a guerra que marcou os Estados Unidos.

APOIE O ESCRIBA CAFE E RECEBA CONTEÚDO EXCLUSIVO


Esse episódio faz parte dos fantásticos podcasts mais antigos do Escriba Cafe que, por questões de direitos autorais, não estão disponíveis para download nem pelo feed, Spotify, etc, (nem mesmo pelo player fixo no site) sendo possível ouví-los somente pelo player no respectivo post.


TRANSCRIÇÃO DO EPISÓDIO

(As transcrições dos episódios são publicadas diretamente do roteiro, sem revisão, podendo haver ainda erros ortográficos/gramaticais e, assim, pedimos que marquem os erros e deixem uma nota para que possamos corrigí-los)

Ler a transcrição completa do episódio

Good morning, Vietnam. Hey, this is not a test, it’s rock’n roll… Aqui vai mais um programa para alegrar vocês neste 8 de junho de 1972… ano difícil, hein. Vocês soldados americanos aí no front que me ouvem devem estar já cabisbaixos vendo seus colegas voltarem para a América. Será que a guerra acabou? Só restaram alguns gatos pingados de vocês por aí. Se vocês soubessem a bagunça de protestos pacifistas e jogos políticos que estão acontecendo agora nos Estados Unidos e no mundo, já tinham largado seus rifles e ido fumar maconha em Saigon. Mas não vou contar nada porque minha função aqui é deixar vocês animados e com a moral alta para metralharem os vietcongues mesmo sem saber o que está acontecendo por trás dos bastidores. Falando em vietcongues, temos notícias ao vivo em primeira mão com nossa enviada especial que está nesse momento na vilarejo de Trang Bang:

“Aqui em Trang Bang parece não haver nenhum vietcongue, mas está acontecendo um ataque aéreo com bombas napalm. Dá para ouvir também tiros de metralhadora, mas parecem ser dos soldados aliados. Tem vários civis morrendo e um monte de crianças queimadas pelo napalm fugindo pela estrada. Tem uma menininha sem roupas e a pele se soltando das costas que está correndo junto com seus irmãos tentando encontrar socorro. Não dá para saber se esse ataque é americano ou dos aliados sul vietnamitas… Parece que mais aviões estão vindo.. Estão soltando mais bombas com napalm…”

Perdemos a transmissão e parece que perdemos a repórter também. Já é a décima só nessa guerra. Na próxima talvez precisemos de umas 20 repórteres reserva. E vocês aí, soldados que me ouvem, não devem saber nem o motivo dessa guerra que estão perdendo… É claro que estão mandando muito bem nas batalhas e vencendo quase todas… perder uma guerra assim é estranho… então fiquem sintonizados que logo após o rock, saberemos mais sobre o porquê dessa guerra. Let’s Rock!

A Guerra Fria

Depois da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos e a União Soviética se sobressaem como as duas potências mundiais. Contudo as duas nações possuíam ideologias e regimes completamente diferentes: os Estados Unidos acreditavam que o capitalismo era a melhor representação da democracia e liberdade, enquanto a União Soviética vivia um regime socialista.

Rapidamente o mundo se dividiu. As Américas e a Europa Ocidental contra o leste europeu e boa parte da Ásia. Os Estados Unidos e a União soviética iniciaram uma corrida armamentista. O objetivo era demonstrar a superioridade e intimidar o inimigo. A luta contra o comunismo tornou-se quase neurótica, principalmente nos Estados Unidos, já que o regime era considerado o fim da democracia e da liberdade. Cada vez mais pequenos países caíam sob o domínio comunista. Nenhum dos lados poderia criar brechas ou revelar-se inferior, pois isso certamente teria consequências graves.

O desenvolvimento tecnológico e militar não podia parar de forma alguma. Novas descobertas nesse âmbito deviam ser mantidas secretas, pois espiões estavam infiltrados por todos os lados e poderiam roubar a tecnologia. Muitas supostas naves alienígenas foram avistadas nessa época.

Uma guerra direta entre as potências jamais ocorreu, mas jogos de espionagem e apoio a países aliados em guerra eram frequentes. Essa foi a Guerra Fria.

Ho Chi Minh

2 de setembro de 1945

Desde 1885, o Vietnam fora colonizado pela França. Durante a Segunda Guerra Mundial, fora invadido e tomado pelos japoneses. No entanto, junto com o fim da Segunda Guerra, o líder comunista Ho Chi Minh toma Hanói, capital do norte, expulsando os japoneses e proclamando a independência do Vietnam.

Os franceses não aceitaram a independência e, rapidamente, enviaram tropas para reconquistar todo o norte do Vietnam. Em 1954 os franceses são derrotados. Um acordo feito em Genebra entre os vietnamitas e os franceses, divide o Vietnam em duas partes, ficando o norte sob o governo comunista de Ho Chi Minh e o sul sobre a monarquia de Bao Dai, aliado francês, sendo que em 1956 haveria uma eleição para unificar o país.

Quebra de acordo

Os Estados Unidos se recusaram a assinar o acordo entre a França e o Vietnam, pois sabiam que os comunistas conseguiriam a maioria nas eleições, e temiam que isso causasse um efeito dominó, fazendo com que os comunistas dominassem boa parte da região.

Por esse motivo que os americanos apoiaram o Vietnam do Sul quando cancelaram as eleições de 1956 e declararam a independência, criando um governo ditatorial, cujo poder ficou na mão de um líder católico chamado Ngo Dinh Diem. O Vietnam do Norte reagiu e ordenou que células comunistas presentes no Sul, iniciassem uma campanha armada, promovendo atentados, sequestros e assassinatos.

Os Estados Unidos enviaram armas, dinheiro e instrutores militares para o Vietnam do Sul, pois a vitória de Ho Chi Minh seria certa sem a ajuda americana. Os comunistas precisavam ser exterminados do Vietnam do Sul.

Contudo, os problemas em Saigon cresciam. A população já estava revoltada com a repressão e também a perseguição aos budistas, promovida pelo irmão do ditador.

Aproveitando a impopularidade do governo de Ngo Dinh Diem, o Vietnam do Norte cria a Frente de Libertação Nacional, um grupo militar que passou a ser conhecido como Vietcong para combater a ditadura no Sul e dominar o país.

Os EUA entram em cena

Em 1960, Kennedy é eleito presidente dos Estados Unidos. Apesar de focar seu governo externo em questões que achava mais importantes, como a Baía dos Porcos e a União Soviética, não demora muito coloca seus olhos sobre o Vietnam, principalmente depois do fracasso da invasão de Cuba e a construção do muro de Berlim. Ficou claro que não poderia aceitar mais uma vitória comunista, o Vietnam do Norte precisava ser detido.

Ficou claro para os EUA que o principal problema de Saigon era o governo de Ngo Dinh Diem: opressor, corrupto e ineficiente contra os ataques vietcongues. Era preciso haver um golpe de estado no Vietnam do Sul.

Os americanos enviaram mensagens aos militares conspiradores de que não se oporiam a qualquer ação que decidissem tomar contra o governo. Essa era uma mensagem clara de que os militares seriam apoiados num golpe contra Diem.

Em 1963, Ngo Dinh Diem é deposto e executado junto com seu irmão. O país entra, então, numa era de instabilidade, onde os governos militares eram substituídos um atrás do outro. Hanói aproveitou o momento conturbado de Saigon e aumentou mais ainda o apoio aos Vietcongues.

Kennedy enviou mais conselheiros militares para o Vietnam do Sul e introduziu os helicópteros nas batalhas.

Em 22 de novembro de 1963 Kennedy é assassinado.

Começa a guerra

Lyndon Johnson assume a presidência dos Estados Unidos, e rapidamente daria um jeito de começar a guerra de verdade.

Em 1964 o pentágono forjou um ataque do Vietnam do Norte a um de seus navios em águas internacionais. Conseguiu assim o apoio popular e do congresso americano para enviar soldados e armamento para o Vietnam, iniciando a guerra.

Os conselheiros militares em Saigon foram logo substituídos por combatentes. Muitos combatentes.

O primeiro estágio da guerra foi simples: durante três anos, os Estados Unidos bombardearam o Vietnam do Norte e locais estratégicos do sul usados pelo comunistas. Mais de um milhão de toneladas de bombas e mísseis caíram sobre o Vietnam do Norte, levando-o quase a idade da pedra. Mas, incrivelmente, os bombardeios não foram suficientes para sequer separar os vietcongues de seus patrocinadores do Norte. As operações em solo aumentaram. Apesar da experiência na selva de algumas tropas de elite americanas, a maioria dos soldados acabava por padecer em armadilhas arcaicas e enfrentava grande dificuldade de locomoção e combate nessas áreas. Mesmo vencendo a maioria das batalhas, os americanos não conseguiam derrotar definitivamente o inimigo, que era fortemente financiados pela União Soviética e a China.

Mais e mais americanos eram mortos. Os inúmeros ataques terrestres eram auxiliados por intensos bombardeios. Os americanos passaram a usar também um tipo de explosivo chamado Napalm.

Com fins incendiários o Napalm leva esse nome devido a junção de dois de seus componentes: os ácidos naftérnico e palmítico, que eram usados para transformar líquidos inflamáveis em gel, o que causava maior efeito de destruição devido a aderência às superfícies. Muito usado em bombas e lança-chamas, o Napalm foi devastador contra soldados e até civis, matando por queimaduras e também por asfixia, já que causava a queima total do oxigênio na área atacada.

O uso de agente-laranja para devastar florestas e plantações também foi constante. A guerra tinha uma grande parcela psicológica. Americanos e Comunistas usaram a propaganda como arma para desmoralizar o inimigo e também conquistar a própria população e ganhar apoio da opinião pública.

O governo Lyndon Johnson forjava e adulterava informações sobre a guerra para a mídia, para que o apoio popular continuasse forte. Mas depois de várias contradições e vazamentos, a população americana começou a desconfiar das informações do governo, que logo perdeu a credibilidade.

Em 1967 um protesto contra a guerra aconteceu em frente ao Pentágono.

Começava a surgir, então, o mais forte inimigo americano na Guerra do Vietnam: o próprio povo americano.

A derrota vem de casa

Em janeiro de 1968, os Estados Unidos receberam um terrível golpe: num ousado ataque surpresa, que ficou conhecido como Ofensiva Tet, o Vietnam do Norte, investiu contra mais de cem cidades do Vietnam do Sul, capturando várias e ocupando Saigon por algumas horas.

As perdas do Vietnam do Norte foram gigantescas, mas o objetivo do ataque era puramente desmoralizar os americanos. E conseguiram.

As forças armadas americanas se viram humilhadas, o mundo entendeu que a maior potência militar do globo não conseguia vencer a guerra. O presidente Lyndon Johnson viu sua popularidade cair para 36%.

Também em 1968 Richard Nixon é eleito presidente dos Estados Unidos, ele pregava a vietnamização da guerra, ou seja, deixar que o próprio exército do Vietnam do Sul, com apoio americano, continuasse a guerra, trazendo os mais de 500.000 soldados americanos de volta. Mas isso se revelou difícil, já que, em várias operações, o exército sul-vietnamita, mostrou-se incapaz de combater e vencer os vietcongues sozinhos.

Good Morning, Vietnam. Hoje vocês acompanham ao vivo a mais uma disputa emocionante entre os Estados Unidos e o Vietnam do Norte. Nessa decisão importantíssima parece que os titulares ficarão de fora… no campo entraram só os reservas sul vietnamitas para a batalha. ÉSaigon versus Hanói! Super batalha. E começa a partida… Saigon começa a se movimentar… estão equipados com armas e veículos americanos. São muitos, são milhares. Correm para a fronteira. Se preparam, passam pela fronteira e atacam a trilha Ho Chi Minh no Laos… Pode isso? -A regra é clara, o Laos tinha um acordo de neutralidade, mas parece que os dois lados violaram o acordo, e se o juiz deixou prosseguir, vamos lá. Apesar de ilegal a estratégia é boa, cortando a trilha Ho Chi Minh os vietcongues perderão sua principal via de abastecimento do Norte. Saigon avança mais, vai com tudo e Hanói aparece para salvar… inicia o contra-ataque, são muitos também, pressionam, Saigon recua, a resistência é forte, morre gente pra cara… e Saigon foge desesperada… e gente tropeçando e caindo… parece que o combustível está acabando, eles abandonam os caminhões e tanques pela estrada e voltam correndo a pé… correm para os helicópteros para fugirem, tem gente até se agarrando nas sapatas das aeronaves para não ficar pra trás… vào embora derrotados… vem aviões americanos e destróem os veículos aliados que ficaram pra trás para não caírem nas mãos do inimigo… e acaba a partida.. Que vexame, que vexame….

A população americana se revoltava cada vez mais.

Nixon tentou fazer com que a maioria silenciosa da população, a favor da guerra, apoiasse publicamente a sua política. Mas essa maioria deixou de existir quando notícias sobre incontáveis mortes de civis, inclusive crianças, e estupros e outros abusos por parte dos soldados americanos chegaram aos ouvidos e olhos da população.

Surgia então, nos Estados Unidos, a contra-cultura, conhecida também como movimento hippie.

Cultuando o rock, protestando e indo contra tudo o que a sociedade americana pregava, o movimento hippie dominou universidades de todo o país. Músicas de protesto eram compostas e passeatas e discursos públicos aumentavam ainda mais a indignação do povo, levando a opinião pública a iniciar a derrota americana na guerra do vietnam. Vários jovens, pela primeira vez, negaram-se em massa a ir para guerra, fugindo para países vizinhos.

Em 1969 o líder comunista Ho Chi Minh morre. No mesmo ano acontece o ápice da contra-cultura, com o festival de Woodstock.

A volta para casa

O total de americanos mortos ou feridos já passava da casa das centenas de milhares. Incessantes ataques vietcongues mostravam que tão cedo a guerra não iria acabar. Com a opinião pública massacrando a Casa Branca, parecia não haver mais como se obter a desejada “saída honrosa” da guerra. Mesmo vencendo a maioria das batalhas, os americanos estavam perdendo a guerra.

No início dos anos 70 inicia-se a retirada lenta e gradual dos soldados americanos presentes no Vietnam. Em junho de 1972, um bombardeio com napalm feita por engano em uma aldeia civil chocou o mundo devido a célebre foto da menina nua e queimada correndo pela estrada fungindo da aldeia. Vários civis foram mortos. Não se sabe se o ataque foi feito por americanos ou os aliados vietnamitas do sul. Muitos pregam que ao menos a ordem do ataque veio de um general americano.

Aquilo foi a gota d’água para a opinião pública. A retirada dos soldados americanos aumentou em quantidade e velocidade. Sem a presença do exército americano no Vietnam e o despreparo dos aliados vietnamitas, o Vietnam do Norte abandona suas táticas de guerrilha e concentra suas forças num ataque final.

Os comunistas recuperaram as áreas perdidas e viram o desmoralizado exército sul Vietnamita se dissolver.

Em 1975, os americanos retiraram o restante de seu pessoal de apoio, e em 30 de abril os comunistas tomam Saigon, rebatizando-a de Ho Chi Minh. Era o fim da guerra com a vitória do Vietnam do Norte.

Consequências

A guerra do Vietnam custou aos americanos mais de 47 mil mortos, 313 mil feridos e 200 bilhões de dólares. O total de vítimas da guerra passa de um milhão de mortos.

O Vietnam estava arrasado. Seus rios e plantações foram envenenados pelo agente-laranja, deixando o solo improdutivo e suas cidades e aldeias destruídas.

Com boa parte da população fugindo do regime comunista e os embargos internacionais, o Vietnam regrediu economicamente e passou por tempos difíceis.

Apesar de manter seu território intacto, os Estados Unidos, sob um olhar político, foi o mais afetado: os militares foram humilhados, a presidência devastada e a CIA e o Pentágono duramente criticados. Os cidadãos nunca mais confiaram plenamente no governo.

Tagged as: , , .

Rate it
Publicação anterior

Participe da Discussão